Os Principais Investimentos Do Mercado

Poupança, Títulos Públicos, Debêntures, CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCA (Letra de Crédito Agrícola), CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), Fundos Imobiliários, Ações, Fundos de InvestimentosPrevidência Privada e Ouro. Nesse artigo quero lhe apresentar os principais investimentos do mercado. São vários os tipos de investimentos existente no mercado hoje em dia, mas antes de entrar em cada um deles, quero que você entenda alguns indicadores importantes:

  • CDI: calculado pela CETIP com base na média diária dos Depósitos Interfinanceiros. Serve de Indexador para várias operações de mercado;
  • SELIC: calculado com base na média diária dos financiamentos de um dia com lastro em Títulos Públicos;
  • IPCA: é medido mensalmente pelo IBGE.Foi criado com o objetivo de oferecer a variação dos preços no comércio para o público final. É considerado o índice oficial de inflação do país;
  • IGP-M: refere-se à coleta de preços realizada entre os dias 21 de um mês e 20 do seguinte, e não no mês completo.

Aqui listaremos resumidamente os principais investimentos do mercado.Para saber tudo sobre eles, acesse a página indicada em cada um.

Poupança

poupança

A caderneta de poupança é um dos investimentos mais tradicionais e provavelmente o mais famoso entre os Brasileiros. Sua segurança é muito alta e sua liquidez é instantânea. Pelo outro lado, sua rentabilidade é baixa, afinal “Liquidez” e “Rentabilidade” são fatores geralmente inversamente proporcionais em investimentos.

Características principais:

  • Riscos: banco falir ou governo intervir;
  • Não há incidência de IR até R$50 mil;
  • FGC assegura até R$250 mil do valor investido caso o banco quebre;
  • Segurança alta;
  • Alta liquidez, porém rentabilidade somente no aniversário do investimento;
  • Baixa rentabilidade.

Títulos Públicos

São títulos emitidos pelo governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para financiamento da dívida pública e para projetos na área federal como educação, saúde, tecnologia, infraestrutura, etc.

São títulos considerados de risco zero pelo mercado, independente do valor, pois você empresta dinheiro ao governo federal e recebe o pagamento de juros.

Vantagens:

  • Boa rentabilidade;
  • As taxas de administração são muito baixas;
  • 100% seguro independente do valor;
  • Você pode diversificar seus investimentos em títulos, obtendo variadas rentabilidades, como pós-fixadas, pré-fixadas e indexadas a índices de preços;
  • Você tem total poder de tomada de decisão e controle do seu patrimônio;
  • Você já investe com seus objetivos previamente definidos, levando em conta fatores como: taxa de juros, prazo, valor a investir e riscos;
  • Você tem total comodidade, segurança e tranquilidade para gerenciar seus investimentos;
  • A liquidez é garantida pelo Tesouro Nacional.

Debêntures

debênture

Debênture é um Título de Renda Fixa, como se fosse um CDB. Porém, o CDB é emitido pelos bancos enquanto a Debênture é emitida por empresas. As empresas utilizam dessa prática para captar recursos do mercado com juros muito menores do que os oferecidos pelas instituições financeiras.

Vantagens

  • Liquidez diária;
  • Grande variedade de emissores;
  • Possibilidade de compor de várias maneiras a rentabilidade da carteira de investimentos (inflação, juros e prefixada).

CDB

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título de dívida do banco. Quando você investe em um CDB, está emprestando dinheiro ao banco e, no tempo determinado,irá receber o valor reajustado.

Esse título pode ser pré ou pós-fixado. No caso de pré-fixado, o investidor sabe no momento da aplicação qual será seu rendimento e no tempo estabelecido ele poderá ser resgatado. Esse período geralmente é de 30 dias, embora existam prazos mais longos. E, quanto maior o prazo, maior a rentabilidade, claro.

Já no caso do CDB pós-fixado, o lucro só é conhecido no momento do resgate. A rentabilidade será definida pela taxa de mercado, que pode variar bastante. Quando há aumento da inflação, o lucro também sobe, e vice-versa, ou seja, você não sabe qual será a rentabilidade, mas sabe qual será o indicador.

LCA

lca

A LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras públicas e privadas, sendo vinculado a direitos creditórios originários de negócios na área rural, sejam empréstimos ou financiamentos para a produção agropecuária.

Características Principais:

  • Destinado para investidores qualificados;
  • Isenção de Imposto de Renda para pessoa física;
  • A segurança é a mesma de um CDB ou de uma Poupança: o investidor só não recebe o pagamento se houver a quebra do banco emissor;
  • Baixa liquidez;
  • Atualmente as LCA’s são garantidas pelo FGC até R$ 250 mil;
  • A maioria das LCA’s é indexada ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e costuma remunerar entre 85% e 100% do CDI, dependendo do porte da Instituição Financeira;

CRI

cri

O CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) são títulos lastreados em créditos imobiliários e garantidos por imóveis, que apresentam promessa de pagamento em dinheiro. Sendo assim, ao adquirir um CRI, o investidor está adquirindo, na verdade, o fluxo de recebimento de crédito concedido para a efetivação do empreendimento imobiliário. Seus termos e condições (taxas, prazos e amortizações) são variáveis conforme cada emissão específica.

Principais características:

  • Liquidez baixa;
  • Baixo risco;
  • Destinado para investidores qualificados;
  • Possibilidade de remuneração atrelada à inflação + ganho real ou vinculada ao DI;
  • Isenção de Imposto de Renda para pessoa física;
  • Alta rentabilidade;
  • Investimento a longo prazo.

LCI

lci

O LCI (Letra de Crédito Imobiliário) é o instrumento de captação dos bancos, com objetivo de financiar o setor imobiliário. São títulos de risco baixo para o investidor por contar com a mesma garantia que a Caderneta de Poupança conta do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) e ainda alienação fiduciária do imóvel.

Principais características:

  • Liquidez na data do vencimento, que pode variar de 3 meses a 2 anos;
  • Risco baixo para aplicações de até R$250 mil por CPF, por serem garantidas pelo FGC;
  • Alienação fiduciária do imóvel como garantia da operação;
  • Títulos isentos de Imposto de Renda para pessoa física;
  • Título de Renda Fixa de baixo risco;
  • Rentabilidade atrativa;
  • Título destinado a investidores qualificados.

Fundos Imobiliários

fundos imobiliários

Os Fundos Imobiliários são condomínios de investidores, semelhantes aos fundos de ações e renda fixa, administrados por instituições financeiras e fiscalizados pela CVM. Têm por objetivo aplicar recursos no desenvolvimento de empreendimentos imobiliários ou imóveis prontos, como hotéis, shopping centers, edifícios comerciais, escolas, loteamentos, etc.

Do patrimônio de um fundo, podem participar um ou mais imóveis, parte de imóveis, direitos a eles relativos, entre outras opções.

Adquirindo um Fundo Imobiliário você estará “comprando” um imóvel e recebendo o “aluguel” daquele empreendimento, livre de imposto de renda e sem dores de cabeça.Incrível né?

Principais características:

  • Liquidez;
  • Diversificação da carteira;
  • Baixo investimento inicial;
  • Boa rentabilidade;
  • Baixo risco;
  • Isenção de Imposto de Renda.

Ações

Ações

Ações são títulos nominativos negociáveis que representam uma fração do capital social de uma empresa. Ao comprar uma ação o investidor se torna sócio da empresa, de um negócio. Passa a correr o risco dos lucros e prejuízos como qualquer empresário.

A abertura de capital é uma alternativa disponível para as empresas se capitalizarem, para assim não depender exclusivamente dos recursos próprios para financiar sua expansão. É essencial no atual cenário econômico em que vivemos, do qual se predomina o uso intensivo de tecnologia, a grande competição e a globalização.

O investidor se torna um financiador do crescimento, resultado da soma do risco e do lucro do negócio.

Remuneração do acionista

  • Valorização da ação;
  • Dividendos;
  • Juros sobre capital próprio.

Fundos de Investimentos

fundos de investimentos

Um Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos, captados de pessoas físicas ou jurídicas, com o objetivo de obter ganhos financeiros a partir da aplicação em títulos e valores mobiliários. Um fundo é organizado sob a forma de condomínio e seu patrimônio é dividido em cotas, cujo valor é calculado diariamente por meio da divisão do patrimônio líquido pelo número de cotas em circulação. Em outras palavras, é como um condomínio que reúne recursos de um conjunto de investidores (cotistas), com o objetivo de obter ganhos financeiros a partir da aquisição de uma carteira de títulos ou valores mobiliários.

Classificação

No Brasil, existe uma classificação estabelecida pela CVM para os fundos mais ofertados.Elas são definidas em:

  • Curto Prazo: como o próprio nome diz, possui títulos de curto prazo e, por isso, menor risco na carteira. O prazo máximo da carteira é 60 dias.
  • Referenciados: mostram explicitamente o nome do indicador de referencia do fundo. Por exemplo: Fundo DI, que acompanha o indicador CDI.
  • Cambiais: possuem pelo menos 80% da sua carteira em ativos relacionados à variação de preços da moeda estrangeira.
  • Ações: essa carteira deve possuir no mínimo 67% do patrimônio em ações no mercado a vista da Bolsa de Valores.
  • Dívida Externa: esse fundo deve ter, no mínimo, 80% do patrimônio em títulos da dívida externa do governo.
  • Multimercado: deve possuir política de investimento que envolva vários fatores de risco, sem o compromisso de concentração em nenhum fator em especial ou em fatores diferentes das demais classes previstas.
  • Renda Fixa: esses fundos precisam ter pelo menos 80% da carteira em ativos relacionados à taxa de juros doméstica ou índice da inflação, aplicados em títulos federais ou privados de baixo risco de crédito. Podem ser de curto ou longo prazo.

Previdência Privada

previdencia privada

A Previdência Privada é um investimento a longo prazo que visa complementar a aposentadoria do cidadão, de forma que o mesmo não fique dependente somente da previdência social.

Existem dois tipos:

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)

Ideal para quem faz declaração completa de IR, pois você pode deduzir o valor das contribuições da sua base de cálculo do Imposto de Renda, com limite de 12% da sua renda bruta anual. Assim, poderá reduzir o valor do imposto a pagar.

VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre)

Ideal para quem faz declaração de IR simplificada, para profissionais liberais ou para quem deseja aplicar mais de 12% de sua renda bruta anual. Isto porque, em um VGBL, a tributação acontece apenas sobre o rendimento acumulado.

São vários e vários os tipos de investimentos existentes no mercado, cabe a você agora Investir em Conhecimento e começar a multiplicar seu patrimônio em busca da independência financeira.

Sucesso na caminhada !

invistaNão perca a oportunidade de conhecer o melhor e mais completo curso do mercado: O Investimento Perfeito. Qualidade testada e recomendada. CLIQUE AQUI !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *