Fundos Imobiliários

Os Fundos Imobiliários são condomínios de investidores, administrados por instituições financeiras e fiscalizados pela CVM. São semelhantes aos fundos de ações e renda fixa. Têm por objetivo aplicar recursos no desenvolvimento de empreendimentos imobiliários ou imóveis prontos, como hotéis, shopping centers, edifícios comerciais, escolas, loteamentos, etc.

Do patrimônio de um fundo, podem participar um ou mais imóveis, parte de imóveis, direitos a eles relativos, entre outras opções.

Adquirindo um Fundo Imobiliário você estará “comprando” um imóvel e recebendo  o “aluguel” daquele empreendimento, livre de imposto de renda e sem dores de cabeça, incrível né ¿

Principais características dos Fundos Imobiliários

Os rendimentos para pessoas físicas são isentos de Imposto de Renda. Têm o patrimônio dividido em cotas, que são valores mobiliários de renda variável. São obrigatoriamente administrados por instituições financeiras.

Para liquidar o todo ou parte do investimento, o cotista vende suas cotas a terceiros, através do Home Broker da sua Corretora de Valores, como no caso das ações de companhias abertas.

Como investir

O investidor adquire cotas do Fundo de Investimento Imobiliário (FII) em ofertas públicas ou na própria Bolsa de Valores através do Home Broker. O FII, por sua vez, adquire em nome próprio os imóveis que pretende explorar comercialmente, indicados para compor sua carteira de ativos. A partir daí, o cotista tem direito a receber uma parte dos rendimentos que o fundo obtiver, proporcional ao seu número de cotas.

Rentabilidade

rentabilidade

A rentabilidade dos fundos imobiliários é formada por dois componentes: a evolução da quota e o rendimento. O cálculo da evolução das cotas é da mesma forma que se calcula a variação de preço de uma ação: Retorno da quota = Preço final do período / Preço inicial do período.

O cálculo da taxa de rendimento (yield), se dá pela mensuração de quanto rendimento o fundo pagou sobre o preço ao final do período. O retorno do período é a soma dos dois componentes.

Por que alguns fundos possuem taxas de rendimento tão diferentes entre si tendo ativos bastante semelhantes na carteira ?

A taxa de rendimento, por ser calculada sobre o valor da última quota do período, é composta por dois números de naturezas diferentes: rendimento ocorrido no período e a expectativa de valor do imóvel ou atividade desenvolvida pelo fundo. Assim, se algum empreendimento da carteira do fundo trouxer grandes incrementos de rentabilidade, a tendência de sua quota é se valorizar, o que reduz a taxa de rendimento, por ser inversamente proporcional ao preço da quota. Por isso, mesmo que o aluguel continue fixo, o Yield (taxa de rendimento) se altera pela variação do valor da quota.

Resgate de cotas

Não é possível resgate nos Fundos Imobiliários. O prazo do fundo geralmente é indeterminado e a liquidez se dá através da via de negociação da quota no mercado secundário ou amortização das quotas pela liquidação do investimento.

Liquidez

liquidez 2

Se comparadas com investimentos diretos em imóveis, os FII’s tem em média maior liquidez. Contudo, se comparado com algumas ações, a liquidez dos FII’s não apresentam altos índices.

Vantagens

vantagem

  • Torna o investimento imobiliário acessível mesmo aos pequenos e médios investidores, através do fracionamento via emissão de cotas, sendo baixo o valor inicial para investimento;
  • É um investimento em imóveis com a mobilidade das transações financeiras, evitando as complicações com escrituras, certidões, etc.;
  • O fundo gera um ambiente de transparência para as operações imobiliárias, além de contar com imóveis escolhidos por especialistas no setor.

Tributação

Tributação do Fundo Imobiliário

juros

O Fundo Imobiliário é isento de impostos. O Imposto de Renda só incide sobre as receitas financeiras obtidas com as aplicações do saldo de caixa do fundo, na distribuição de rendimentos ao quotista e no ganho de capital que este porventura obtiver na alienação de cotas. Para que o Fundo possa ter este benefício tributário, ficaram estabelecidos os seguintes requisitos:

  • Que o Fundo distribua a cada seis meses, 95% de seu rendimento aos quotistas;
  • Que o Fundo não invista em empreendimento imobiliário que tenha como incorporador, construtor ou sócio, quotista que possua isoladamente ou em conjunto com pessoa a ele ligada, mais de 25% das quotas do Fundo.

Tributação sobre os rendimentos

Com relação à tributação dos rendimentos obtidos pelos cotistas, há distinção entre pessoas físicas e jurídicas:

  • Cotista Pessoa Física – Isento de Imposto de Renda sobre os rendimentos obtidos;
  • Cotista Pessoa Jurídica – Imposto de Renda de 20% sobre os rendimentos obtidos.

Tributação sobre o ganho de capital

Em relação ao ganho de capital (eventual lucro na venda das cotas), a alíquota de IR é de 20% para qualquer cotista. A isenção do IR para as pessoas físicas foi definida, dentre outras coisas, que:

  • As pessoas físicas que terão direito a isenção não poderão possuir 10% ou mais das cotas dos Fundos;
  • O Fundo deverá ter no mínimo 50 cotistas e ter suas cotas exclusivamente negociadas em Bolsa ou mercado de balcão organizado.

O quotista estrangeiro será penalizado por IOF caso retorne seu investimento em menos de um ano.

Concluindo, os Fundos Imobiliários são uma excelente alternativa para diversificar sua carteira investindo em imóveis com total praticidade e segurança. Recomendo fortemente que conheça o curso abaixo.

A base para a construção desse artigo foi o incrível E-book “Como Investir Dinheiro”, do Rafael Seabra. CONHEÇA AGORA !!!

Investir em Fundos de Investimentos Imobiliário é realmente incrível, não é ?

fundos imobiliarios 2Não perca a oportunidade de conhecer o melhor curso de FII’s do mercado: Fundos Imobiliários – O Guia Definitivo, a solução para os seus investimentos. Curso totalmente focado. CLIQUE AQUI !!!