Entenda cada uma das Taxas

O objetivo desse artigo é para que você entenda cada uma das taxas financeiras. Sabemos que o mercado financeiro é composto de termos técnicos e siglas que muitas vezes a maioria das pessoas não compreendem. Aqui no site eu procuro sempre escrever os artigos de forma que todos entendam os termos usados, me preocupando em explicar detalhadamente a definição de cada um.

Um assunto que gera muita dúvida são as taxas que envolvem todas as transações no mercado de valores. De fato, temos muitas taxas envolvidas, como: taxa de corretagem, custódia, emolumentos, administração, performance. Nesse artigo quero explicar cada uma delas, para que você entenda de vez.

Taxa de administração

administração

Geralmente é cobrada em fundos de investimento, tanto em renda fixa quanto variável. É quanto os cotistas devem pagar pela prestação de serviço do gestor, do administrador e das demais instituições presentes na operacionalização do dia a dia.

O valor da taxa corresponde a um percentual do patrimônio líquido do fundo. Ele é totalmente independente dos rendimentos obtidos pelos cotistas.

A taxa varia de acordo com a instituição e o produto escolhido. Fique atento: a taxa de administração nem sempre tem relação direta com o desempenho do fundo, existindo outras coisas que deverão ser analisadas na hora de fazer o investimento. Lembrando que o valor da taxa é divulgado no regulamento do fundo.

Taxa de performance

performanceTambém cobrada em fundos de investimento, é uma taxa que existe para remunerar o gestor sempre que ele superar seu indicador de referência, conhecido como Benchmark. Ela serve para remunerar uma boa administração. É essencial que o cotista tenha conhecimento dessa taxa no momento da aplicação do investimento.

Alguns exemplos dessa taxa são em fundos de ações (percentual sobre o que ultrapassar o Ibovespa) ou fundos DI (quando ultrapassam o CDI). Geralmente ficam entre 20% e 25% sobre o rendimento que superar a meta.

A taxa de performance serve como incentivo para que o gestor trabalhe bastante para tentar obter uma rentabilidade maior que a meta. Dessa forma ele ganhará uma porcentagem do valor excedente.

Taxa de manutenção de conta

Geralmente cobrada em bancos, existe para manter o seu dinheiro numa conta corrente e com os benefícios oferecidos pelo banco (saque, extratos, internet banking, entre outros). Não é comum ser cobrada por corretoras de valores.

taxas 2

Taxa de corretagem

Taxa cobrada pelas instituições intermediárias financeiras (corretoras de valores) aos clientes pelas operações na bolsa de valores (compra ou venda). Pode ser um valor fixo (geralmente entre R$ 5 e R$20) ou variável (percentual sobre a operação).

Taxa de custódia

É uma taxa cobrada mensalmente pelas corretoras para armazenar os títulos ou ações de um determinado investidor. Esta taxa pode ser um valor fixo ou um percentual sobre o valor dos papéis guardados. Independente de realizar novas operações, você pagará essa taxa caso tenha títulos ou ações sob custódia da corretora. Existem corretoras que não cobram essa taxa.

Taxa da corretora para aquisição do Tesouro Direto

Algumas corretoras cobram um valor percentual sobre operações de compra de títulos públicos, através do Tesouro Direto. Geralmente ficam abaixo de 1% ao ano e existem corretoras que não cobram essa taxa.

Taxa de liquidação e taxa de negociação

São taxas cobradas pela Bovespa sobre operações de compra e venda de títulos e ações. Possuem valores muito baixos, mas que são sempre cobrados, independente de corretoras. Custam, respectivamente, 0,006% e 0,0285%.

E agora, ficou claro sobre as taxas envolvidas nas operações do mercado de valores? Caso ainda tenha alguma dúvida, por favor, comente.

A base para construção desse artigo foi o incrível E-Book “Como Investir Dinheiro”. Recomendo fortemente que conheça!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *